quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

the end of the day

fui ter contigo às sete horas do dia 21, sexta-feira. cheguei cedo demais, fui-me adaptando ao ambinte. confesso-te que nunca tinha sentido este cheiro intenso a chuva e nunca tinha conseguido sentir o vento a bater-me na cara com tanta suavidade. estava a sentir-me em casa, estava a sentir a tua chegada a cada mudaçaque eu conseguia sentir nas nuvens!
o tempo foi passando, até que no meu relógio era exactamente sete horas. e tu ainda não tinhas chegado. achei que o comboio podia estar atrasado, que te tinhas demorado com alguma coisa.. não sei, na altura pensei em todas as probabilidades menos na de nunca mais voltares.
passou muito tempo e tu nunca mais vieste. NÃO, NÃO PODE SER!
Quis saltar fora, quis morrer. Mas não, vou correr atrás, vou fazer as coisas valerem a pena!
Corri, corri muito! Procurei por ti como uma louca. Corri a cidade toda, procurei por ti em todos os locais onde podias estar.. não estavas em lado nenhum! Continuei, sem parar.
Passei por uma criança que me deu uma flor, fiquei com ela na mão e continuei a minha procura. Lembrei-me de te ligar, as omeu telemóvel estav sem bateria. MERDA!
Onde é que te podes estar? Já não sei onde procurar mais..
O meu último recurso: a estação. Corri o mais rápido até lá.
Entrei, desci as escadas e olhei para todos os lados, não estavas! Perguntei se te tinham visto e ninguém te viu passar por ali. Ninguém sabia de ti!
Olhei para a flor que a miúda me tinha dado, as lágrimas começaram a cair.
ONDE ANDAS MEU AMOR? ONDE ANDAS?
Sentei-me e as lágrimas cairam-me pela cara! Eu não acredito que não vieste.
NÃOOOO. NÃO PODE SER!
Não posso acreditar.
Foste embora e eu fiquei aqui. O mundo continua a girar e o tempo a passar, só quero mesmo que isto acabe. Vou embora, vou largar tudo.
Deixo a flor cair, deixo as minhas lágrimas no chão, vou embora e deixo o mundo girar para o lado que der!

2 comentários:

  1. Limpas as lágrimas seguras na flor como se não houvesse amanhã e avanças sem medos com ou sem "o amor" até...longe! (já é bastante)
    =)

    ResponderEliminar
  2. já é libertar-me de um fantasma que pelos visto não existe! já é ser mais felz que ontem :)

    ResponderEliminar

Posso não concordar com nenhuma das palavras que tu disseres, mas defenderei até à morte o direito de tu as dizeres.
Voltaire