quarta-feira, 28 de julho de 2010

tenho saudades tuas, NETO!

Hoje quando vinha no carro, depois da praia, a banda sonora que me acompanhou foi diversa. Coisas boas, más e até mesmo coisas que eu não gosto de jeito nenhum!
No meio de tais coisas, apareceu aquela que eu julgo ser a música que mais me remonta ao passado, que mais me trás memórias e acima de tudo que me dá mais vontade de voltar atrás.
Consegues imaginar que música estava a passar na rádio às 20:00 horas? Nem precisas de imaginar, eu digo-te:





Não imaginas todas as coisas que me passaram pela cabeça. Lembrei-me de nós como nunca me tinha lembrado antes e fiquei de tal maneira perturbada que achei que devia escrever-te. Escrever-te umas palavras que sei que nunca irás receber.
Quando ouvi o primeiro verso da música, lembrei-me de quando criaste o fotolog e me dizias coisinhas tão bonitas! Chegaste até a pôr esta música lá e dedicaste-me toda a sua letra. E eu fiquei claramente feliz. Como se me estivesses a dar a lua e ela fosse aquilo que eu mais queria no mundo. Lembrei-me de todas as chamadas feitas à noite. Nas belas e longas noites de verão. Onde falávamos de tudo e mais alguma coisa, onde eu partilhava contigo tudo o que de mais puro existia em mim. E eu tinha tanto orgulho em ficar ali a ouvir-te falar, a tratares-me por princesa como se fosse a tua maior riqueza e tivesses de me guardar para sempre! Eras o meu primeiro amor. E eu juro, juro por tudo o que tenho hoje, que foste o amor da minha vida e que eu tinha por ti todos os amores possíveis e imaginários.
Sabes do que tenho mais falta? Da protecção que me davas, do carinho que sentias por mim e de todos os esforços que fazias para que entre nós sempre houvesse um amor puro e sentido.
Eu era uma miúda! Era uma miúda que nem sequer tive a noção do que estava à minha frente. E porquê que as coisas são assim, sabes-me dizer? Queria tanto ter ficado contigo enquanto devia, enquanto tinha de ser. Queria viver tudo o que havia para viver contigo e ser feliz naqueles momentos todos! E sabes tão bem quanto eu que ainda tinha-mos muitas coisas para viver.
Desde aquela altura que ainda não tive outro amor assim. Que ainda não fui tão eu como fui contigo! E sabes o que me assusta mais? Sei que muito certamente esse amor não irá voltar e eu não vou voltar a ser também a mesma.
Queria voltar! Queria muito que voltasses a falar comigo e que me contasses como está a tua vida. Sei que certamente terás encontrado alguém que tenha preenchido o meu lugar, e espero que te faça feliz, muito feliz. Tu não mereces menos que isso!
Achas que será pedir muito que esqueças as coisas menos boas que aconteceram? Será, também, pedir-te muito que venhas ter comigo e que me deixes olhar-te nos olhos uma vez. Que me deixes perder na imensidão que neles paira e que me deixes sentir a tua alma? É pedir muito? Talvez seja!
Mas não posso fazer nada. É o que eu preciso e é o que neste momento melhor me faria!
Eu morro de saudades nossas! Eu morro de saudades tuas! Eu morro por saber que nunca foi tudo dado, tudo dito, tudo feito!
Meu amor, eu ainda tenho tanto para te dizer. Tanto! E só te estou a pedir que me dês uma última oportunidade. Depois disto, entrego tudo ao destino. Aconteça o que acontecer, depois desta oportunidade tudo será apenas passado!


P.s.- "mata-me de amor ou dá-me liberdade!"


11 comentários:

  1. essa música é das melhores do Pedro Abrunhosa. Ele é fantástico. E quanto a esse amor, pode ser que o destino te dê essa segunda oportunidade. Se ele te a der agarra-a bem querida <3

    ResponderEliminar
  2. está tão sentido minha querida, muito mesmo. deve doer imenso saber que não pudeste aproveitar no momento certo, como hei de explicar, é como dizes: "Eu morro por saber que nunca foi tudo dado, tudo dito, tudo feito!" mas pode ser que haja uma nova oportunidade, sim, e aí vais poder viver tudo, dar tudo, dizer tudo.
    hás de ser muito feliz *

    ResponderEliminar
  3. :o dos textos mais bonitos que li. lindo lindo lindo

    ResponderEliminar
  4. é como sempre digo, quando sao sentidos, saiem sempre bem. foi um grande desabafo, e ao menos isso.

    ResponderEliminar
  5. acho que todos nós fazemos esta pergunta para nos. de uma maneira ou de outra. mas enfim, o mundo nao é de 1, nem 2, nem 3. é de bilioes e bilioes. tratemos da nossa vida, e basta

    ResponderEliminar
  6. acho que todos nós fazemos esta pergunta para nos. de uma maneira ou de outra. mas enfim, o mundo nao é de 1, nem 2, nem 3. é de bilioes e bilioes. tratemos da nossa vida, e basta

    ResponderEliminar
  7. danço pois. Não é segredo para ninguém que a ana é a bailarina predilecta da cnb, e é extremamente justificável.

    ResponderEliminar
  8. lindo está o teu...
    e cheio de sentimento!

    ResponderEliminar
  9. pode ser que volte minha querida, força :)

    ResponderEliminar
  10. não te prendas nisso de ele voltar... podes magoar-te por causa disso...

    ResponderEliminar

Posso não concordar com nenhuma das palavras que tu disseres, mas defenderei até à morte o direito de tu as dizeres.
Voltaire