domingo, 16 de dezembro de 2012

O medo!


Com o passar dos anos, tenho vindo a aceitar a ideia de que nada acontece por acaso! Há quem diga que sou demasiado nova para ter estas ideias tão "tristes" mas ao mesmo tempo, tão verdadeiras. O mundo não é cor-de-rosa e ninguém é o que diz ser.
Já devia ter aprendido que não posso esperar dos outros o que estava disposta a fazer por eles, mas será assim tão difícil compreender que quem dá também gosta de receber? Eu acho que é tão simples e óbvio... mas ainda assim, ninguém consegue fazê-lo!
É tão irónico e repugnante como as pessoas por quem faríamos tudo não são capaz de mexer a ponta de um dedo quando precisamos, no mínimo, da sua presença. Aqueles momentos em que só o estar ali já ajuda e nem isso elas são capazes de dar... Depois ainda se admiram de existirem pessoas inseguras, com medo dos outros e sem vontade de se mostrar verdadeiramente.
Não somos todos iguais mas por uns, vão pagar os outros. Digo isto porque é assim que eu me comporto. Talvez seja errado, admito que por um lado até é... mas já me cansei de dar e não receber, de ser sempre a amiga, o escudo e até a bombeira de serviço! Eu também tenho os meus problemas e ninguém os resolve, ninguém dá dicas e ninguém luta comigo contra eles. Todos estes "erros" de percurso fizeram com que a minha visão das coisas fosse outra mas também me tornaram insegura! Como "gato escaldado, de água fria tem medo", nem sequer me esforço para ser de outra maneira. Há excepções, claro, mas mesmo até com essas eu não sou tão verdadeira quanto devia por medo...
Sinto sempre demais e demonstro tão pouco, estaria disposta a dar duzentos numa escala de cem e nem sequer vinte dou, fico calada quando devia falar, penso sempre com a cabeça e deixo o coração de lado e nunca avanço para nada sem ter a certeza de que é mútuo. Acho que já me habituei a este ritmo e não me desagrada tanto assim... Só não gosto de esperar pelos outros porque raras, raríssimas, são as vezes em que me surpreendo.
Tudo o que já fez de mim um "gato escaldado" dá-me arrepios e só me relembra que não estou a ser correcta com quem gosta de mim. Fico tão atormentado quando penso que isto me pode fazer ficar sozinha e aí... aí o medo volta, o corpo fica gelado e a insegurança é a minha melhor amiga!
Realmente sou tão nova para sentir tudo isto... Mas eu sinto muito e vivo aterrorizada com a ideia de que nunca conseguirei ser eu mesma para alguém.
Era pedir muito uma pessoa na minha vida capaz de me dar uma volta de 360º e me descobrir todos os dias? É só isso que falta: alguém que me faça renascer e que me deixe ser o seu tudo! 
Só falta que me consigam tocar lá no fundo e eu prometo que vou, sem medo, ser o tudo de alguém!

8 comentários:

  1. - como te compreendo... gostei do teu blog * sigo, segues de volta? :3

    ResponderEliminar
  2. Sublinho cada palavra, princesa <3

    ResponderEliminar
  3. Não tenhas medo! Sê tu, sem restrições, e a pensar com a cabeça e com o coração. Tens TANTO para dar, és uma pessoa maravilhosa! Cada uma de nós tem um futuro reservado, não desistas*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tu não existes mesmo! obrigada por tudo és incrível e nunca pensei vir a ter alguém como tu!
      adoro-te *

      Eliminar
  4. - muito obrigada :3 queres falar sobre o que se passa?

    ResponderEliminar
  5. - eu estou aqui para o que der e vier <3

    ResponderEliminar
  6. Não somos novos demais, como nada acontece por acaso é porque é altura certa :)
    Já não vinha aqui, há imenso tempo. Gosto muito *

    ResponderEliminar

Posso não concordar com nenhuma das palavras que tu disseres, mas defenderei até à morte o direito de tu as dizeres.
Voltaire