segunda-feira, 13 de setembro de 2010

um até já longo, duro e sem fronteiras!




"‎"(...) Com toda a minha sinceridade, com um beijo enorme e com um sentimento que nunca mudou daquela a quem chamavas de princesa!"
tenho noção do que te fiz sofrer e do que continuo a fazer , desculpa , e não me contactes , continuarei o mesmo , L""




Um dia disseram-me que não devia ir embora tão facilmente e que por muito que as coisas não sejam como eu imaginava que pudessem ser, devo ficar na mesma! Mesmo que de longe, mesmo que distante, mesmo que nem sequer pareça que exista. Um dia disseram-me que devia ficar independentemente de tudo.
Não vai ser excepção, acredita que não vai! Não me vou embora por tão pouco, não me vou embora apenas porque vias continuar igual e porque me fazes sofrer. Não me importo que isso continue, que o faças indirectamente e por meios que nem eu sei que existem.
Faz tudo o que quiseres! Não vai haver problema nenhum. De uma coisa podes ter a certeza: eu não me vou embora!
Vou estar apenas de férias de ti. Sim, de férias. Não te vou contactar de maneira nenhuma e não saberás nada de mim, a menos que perguntes a alguém. Eu vou morrer durante uns tempos! Mas não me vou embora para sempre, isso seria perder uma vida. E eu não quero perder a minha, nem a tua, nem a de ninguém.
Eu deixo-te em paz, eu deixo-te no teu canto e no teu mundo. Mas fico ai contigo, no meu manto mais invisível para que não sintas que estou ai presente. Mas fico ai nem que seja para te ter perto, mesmo longe.
Um não te vou deixar, nunca mais!
E não me digas "adeus", diz-me "até já". Um até já longo, duro e sem fronteiras.
Lembra-te apenas de uma coisa, eu gosto muito de ti e vou gostar sempre, sempre, sempre!
P.s.- pelo menos sei que aqui poderás ler, sei que aqui saberás que te escrevi!
só mais uma coisa, guarda isto: "It's you that I need, It's you that I need, It's you, and I'm sure it's always been!".

8 comentários:

Posso não concordar com nenhuma das palavras que tu disseres, mas defenderei até à morte o direito de tu as dizeres.
Voltaire